Magnetismo

A “Terra”, um grande Ímã.

A Terra se comporta como um ímã, estabelecendo que o pólo norte magnético situa-se próximo ao pólo sul geográfico e o pólo sul magnético próximo ao seu pólo norte geográfico. Lembramos que o eixo geomagnético, que liga os pólos norte e sul magnético, não coincide com eixo geográfico da terra. Isto é, forma um ângulo de aproximadamente enter os 11,5º e os 13 º e, assim o pólo sul magnético está situado entre 1150km e os 1300 km do pólo norte geográfico, em um ponto ao norte da baía de Hudson, no Canadá.

Durante muito tempo, os cientistas acreditaram que o magnetismo terrestre estava relacionando com os minérios derretidos existentes dentro do núcleo da Terra. Estes seriam os responsáveis pela existência do campo magnético. Estes estudos ainda não foram totalmente comprovados.

Até este momento, ainda não existe uma explicação completa e detalhada da origem do campo magnético terrestre. A teoria mais aceita é a de que este campo seja criado por enormes corrente elétricas, circulando na parte líquida (magma) no interior da Terra, que é altamente condutora.

O que há de mais interessante sobre o campo magnético do nosso planeta são as várias inversões de polaridade que já houve. Observações geológicas permitiram concluir que o sentido da polaridade terrestre foi invertido cerca de 170 vezes nos últimos 17 milhões de anos, ou seja, os pólos sul e norte magnéticos trocam de posição, em média, a cada 100.000 anos! Então vamos esperar …….

Para que não faça muita confusão nas nossas cabeças, “convencionou-se” que o pólo norte magnético, se encontra no hemisfério norte e o pólo sul no hemisfério sul.

 

topo

Declinação magnética

Um conceito muito importante que temos que conhecer para que possamos nos localizar corretamente é a declinação magnética. Para que esse conceito fique bem claro, temos que saber que existe mais de um Norte, na verdade temos três tipos de Norte em cartografia, são eles: Norte Geográfico, aquele indicado por qualquer meridiano geográfico, ou seja, na direção da rotação da Terra; o Norte Magnético, que é a direção do pólo magnético, indicado pela agulha imantada de uma bússola.

O Norte Magnético para onde a agulha aponta não se situa exatamente no Pólo Norte definido pelos meridianos, ou seja, no Norte Geográfico. A maioria dos mapas contém meridianos, linhas orientadas no sentido Norte-Sul, que passam pelo Pólo Norte Geográfico. Os meridianos são representados por linhas finas geralmente em preto.

A declinação magnética, dessa forma, existe porque o pólo norte geográfico e o pólo norte magnético não coincidem, assim, podemos defini-la como o ângulo formado entre o Norte Geográfico e o Norte Magnético, sempre expresso em graus.

 

DECLINAÇÃO MAGNÉTICA NO GOOGLE EARTH

Se o Google Earth estiver instalado, clique aqui visualizar a declinação Magnética da Terra

topo

Agulhas Magnéticas

A Agulha Magnética é um dos mais antigos instrumentos de navegação e, com poucos melhoramentos, é usada ainda hoje em dia por todos os navegantes qualquer que seja o tipo ou porte do navio ou embarcação. Embora atualmente nos navios a Agulha Giroscópica seja o instrumento normalmente utilizado como fonte primária para obtenção de direções (rumos e marcações), existirão sempre Agulhas Magnéticas a bordo, como “back-up”, para atender às situações de emergência.

   
   

topo

Tipos de Agulhas

As agulhas podem ser Líquidas ou Secas, consuante o morteiro está ou não cheio de uma mistura de água destilada e álcool.

Condições a que deve satisfazer a agulha

Uma boa agulha deve ser “sensível” e “estável”. A agulha deve ser sensível para que acuse qualquer variação da proa do navio. Deve ser estável para que indique firmemente a proa, mesmo nas guinadas rápidas, e não se desloque sob a ação do balanço, caturro, trepidações, etc. Estas duas condições, são conseguidas dando à agulha grande momento magnético, pequeno peso e diminuição do atrito, o que se consegue obter mais facilmente nas Agulhas Líquidas. As agulhas secas são muito sensíveis, mas pouco estáveis. Por isso, praticamente não são usadas a bordo de navios ou embarcações.

Perturbações da Agulha – Desvio

Uma agulha magnética livremente suspensa, quando situada em terra permanece orientada na direção do meridiano magnético. A bordo existem, porém, outros campos magnéticos provenientes dos ferros e aços de que o navio é construído e dos equipamentos elétricos existentes.
Os efeitos provocados pelas correntes elétricas podem ser evitados desde que aqueles equipamentos sejam afastados da agulha. Os efeitos dos ferros do navio podem ser muito atenuados, pela “compensação”, operação que consiste na colocação de imãs corretores que criam campos magnéticos iguais opostos aos provocados por aqueles ferros. Os corretores ou compensadores, como também são chamados, estão instalados na bitácula e são, em geral, constituídos por imãs. Nesta condição, a agulha não se orienta na direção do meridiano magnéticos (como acontece em terra), mas segundo outra linha que se denomina “norte da agulha (Na)”.
O ângulo formado entre o meridiano magnético e o norte (da agulha é denominado de “Desvio da Agulha (Da)”.

Compensação da Agulha

A operação de compensação da agulha visa, como já vimos anular ou reduzir as influências dos ferros de bordo sobre a agulha, anulando ou, mais comumente, reduzindo os desvios, que passam a ser chamados desvios residuais.
Depois de compensada a agulha, deve ser feita uma verificação dos desviei residuais e preenchida uma Tabela e Curva de Desvio que são, então, transcritos no Certificado de compensação da Agulha.

topo

 


Página modificada em: 10 Julho 2014